notícias colégio
Notícias
09 de junho de 2022
por: Celio Bruns Junior
Celio Bruns Junior

Oficina alerta alunos do Colégio UNIFEBE sobre os malefícios dos cigarros eletrônicos

Estudantes assistiram palestras com psicóloga e professor de Química

Uma nota publicada recentemente pela Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas, apresentou dados que apontam que o uso dos cigarros eletrônicos tem se expandido entre jovens. A preocupação com esses dispositivos, também chamados de vape ou pod, vem aumentando, já que nem todos seus componentes são conhecidos. Embora o número e os níveis de substâncias tóxicas sejam menores do que do fumo do tabaco tradicional, a exposição a longo prazo ao vapor do cigarro pode causar dependência à nicotina e aumentar o risco de efeitos respiratórios e cardiovasculares.

Por isso, com o objetivo de promover a conscientização a respeito dos riscos do uso dos Dispositivos Eletrônico de Fumas (DEF) entre os jovens, o Colégio UNIFEBE promoveu uma oficina com o professor de Química da instituição Heitor Paloschi e a psicóloga Eduarda Paloschi, estabelecendo uma relação entre as duas ciências, já que estudos apontam que o uso de cigarros tradicionais entre os jovens, está associado a transtorno de déficit de atenção/hiperatividade [TDAH], transtorno desafiador de oposição e transtorno de conduta, e a outros problemas como depressão, ansiedade e transtornos por uso de substâncias.

O professor Heitor explica que verificou os produtos químicos contidos na fumaça dos DEF’s, associando-os a possíveis complicações de saúde e fazendo uma relação com a área da psicologia. “É de extrema importância abordar esse assunto com nossos alunos, pois sabemos que muitos deles fazem uso de algum desses dispositivos. Infelizmente, há uma falta de informações gigantesca sobre como eles podem ser prejudicados fazendo o uso dessas substâncias desde suas juventudes. Assim, buscamos trazer à tona algumas informações e deixá-los cientes dos riscos que a escolha de utilizar um DEF pode trazer para suas vidas a curto e a longo prazo”, salienta o professor.

De acordo com a professora Luzia Meurer de Miranda, psicóloga do Colégio UNIFEBE, as palestras evidenciam o compromisso da instituição com a educação integral dos alunos, incluindo o desenvolvimento de competências e habilidades para dialogar com fenômenos sociais como o uso dos cigarros eletrônicos. “O projeto de conscientização foi elaborado pensando no aumento do número de jovens que usam esses dispositivos, os quais têm potencial para ser altamente viciantes e provocam efeitos noviços para a saúde. Por isso, é necessário esse diálogo e essa reflexão sobre o tema com nossos estudantes”, justifica a professora Luzia.

Estudante do Terceirão, Miguel Ribeiro Machado pôde entender melhor, por meio da palestra, o funcionamento dos dispositivos e seus componentes químicos. “É importante entendermos as consequências causadas pelo uso de cigarros eletrônicos para que não tenhamos prejuízos à nossa saúde”, afirma.

Fale Conosco / Assessoria de Comunicação Social e Marketing:

comunicacao.gestao@unifebe.edu.br / 47 3211-7223

Postagens relacionadas

Cerimônia marca formatura da primeira turma do Colégio UNIFEBE
Destaque

Cerimônia marca formatura da primeira turma do Colégio UNIFEBE


04 de dezembro de 2019
2º Conversa com Empreendedor do ano recebe publicitários proprietários de agência de marketing
Empreendedorismo

2º Conversa com Empreendedor do ano recebe publicitários proprietários de agência de marketing


16 de março de 2022
Colégio UNIFEBE sediará a 23ª Feira Regional de Matemática
Destaque

Colégio UNIFEBE sediará a 23ª Feira Regional de Matemática


31 de agosto de 2022